Ja Online

Bê-a-bá

Anete
Uma vez mais agradecemos à vereadora Anete pela menção ao mimo que lhe ofertamos, em especial pelo fato de haver esclarecido nosso propósito aos seus eleitores. Só faltou dizer que a consideramos, dentro do exercício do seu mister, “a voz dos que não a tem”, vez que dedicada à transmitir seus conhecimentos às pessoas que não ouvem, por isso não falam.

De outro lado…
…gostaríamos de agradecer ao Michael de Souza por comprar exemplares do Já!, embora não ainda não tenha conseguido se alfabetizar.

Sim, pois, soubesse…
…ler, não diria bobagens nas redes sociais. Mas, Michael, continue comprando, um dia, quem sabe, você terá condições de juntar as letras, formar uma sílaba, uma palavra, uma frase…

Maracutaia
Foi mal, muito mal. O Auaupolari, valendo-se da benevolência do presidente, pediu a palavra para pedir “minuto de silêncio” pelas mortes de pessoas suas conhecidas, mas fez um discurso maior do que o próprio minuto de reverência.

E ainda…
…disse que foi “uma perca muito grande”. Não vai aprender nunca, mesmo assim, insistimos.

Nós ouvimos…
…direito? Será? A GigaDeise, da IEQ, incentivando a fornicação? Está lá, no arquivo da sessão, ela disse: “gestantes, TENTANTES…”.

Quer dizer, então…
…que deveremos colocar nas portas das casas das tentantes a famosa palavra FUCK? Fornication Under the Consent of the King.

Por duas vezes…
…a GigaDeise disse que o vice-prefeito tem participado das decisões sobre a administração, coisa que o Chico Almeida Prado já avisou que pode dar problema para a futura chapa Junior/Carleto.

Parece até que…
…ela está trabalhando contra o Carleto para abrir uma vaga para o Bonezinho. Teoria da conspiração? Pode ser… Mas, ó, o tiro pode sair pela culatra. Ou seja, o juiz eleitoral indeferir não só a candidatura do Carleto, mas também do Júnior. É a terceira vez que avisamos.

E depois do Mala…
…quem, quem, quem apareceu?
Ela! ReginAmélia. Mas…

Sim, infelizmente, temos…
…um “mas”. Aliás, um, não, dois! Apesar da jaqueta jeans, num índigo fake, pois preto, a máscara tinha a cor preta com detalhes em branco, quebrando o conjunto que ela vinha apresentando.

O outro “mas” ficou…
…por conta do nariz de fora. Vejam:


Ora, a máscara…
…da semana passada não estava legal e nós não dissemos nada, porque ela estava protegendo a “Amélia Doçura” perfeitamente. Assim, um pequeno defeito na moldura não estraga o quadro. Mas um nariz de fora, com essa pandemia, sei não…

Ah, uma coisa…
…que dá para fazer bem na Câmara: brincar de escorregar com as cadeiras de rodinhas.

A ReginAmélia deslizou…
…lá para os lados do BaianoTeimoso e, assim que voltou, foi a fez dele escorregar pro lado dela.

AuauPolari….
….e suas aulas de portogays: “O pessoal NÃO ESTÃO…”. Tenderam? Não, Feliperu, não! A testagem em massa, sem uma perfeita infraestrutura, é dar milho pra bode.

Tracoisa…
…essa história de a Vigilância Sanitária monitorar as pessoas contaminadas e confinadas é pura ilusão. Tomemos os números da sexta-feira agora. São 230 pessoas em isolamento domiciliar. A Vigilância tem efetivo suficiente para o tal monitoramento?

Façamos as…
…contas: 230/30 = 7/8 pessoas por dia. E estamos falando da inclusão de sábados, domingos e feriados. Quantas equipes são necessárias para tanto? E se as equipes encontram contaminados vivendo em casas insalubres, ocupadas por quatro, cinco pessoas, com pelo menos uma delas dentro da área de risco?

Então, meu caro…
…a ideia da testagem em massa, sem a infraestrutura que estamos sugerindo, é para inglês ver e encher os cofres dos empresários oportunistas. Um teste de glicemia, por exemplo (que não difere muito desse da Covid) sai pela casa de R$ 1,00. Um de Covid, dos mais vagabundos, custa R$ 57,00 quando comprado em grande quantidade.

Então…
….deixemos de besteira. Pregar a testagem, sem que haja uma baita infraestrutura para aproveitar os resultados, é contribuir para o caos.

As lágrimas…
…de crocodilo do JacksCorvo, confessadas agora. Quem o viu chorando nas entregas das casas quando ele presidia a Emhaba, souberam agora que não era um choro de alegria, mas de medo. Eita!

E não é que…
…o Corvo entrou para a IEQ? Sim, sim.
Enquanto o Broca diz que dará “uma information”, o Corvo manda um “Turtle the postes”.

Ô Corvo atrevido…
…você já enganou muita gente com as suas citações bíblicas, mais ou menos do tipo: “Então, Jacó pediu para o seu filho Malaquias, que entregasse um carneiro para Tobias”, primeiro aprenda a falar o português, para depois, muito, mas muito tempo tempo depois, arriscar, quem sabe, um portunhol via Google Tradutor.

Aí, lá pelas tantas…
…depois de muito embromation, enrolation, Brocanation, você aprenderá que a famosa expressão, em inglês britânico, é “The turtle on the light post”, Understood?
.
E ora vejam…
…enquanto ele dizia que a falta de testagem era um atestado de ineficiência, metia a mãozona no centro da máscara, justamente no local em que os vírus ficam concentrados. Eita!

Vixe!
E não é que o Pedrão disse um NÃO sem dizê-lo para a GigaDeise? Ela pediu por duas vezes seguidas um aparte e ele nem tchum.

Aí o presidente, …
…acertadamente, comunicou: “Aparte negado”. Tá feia a coisa…

Nossa!
A GigaDeise abraçou a bobagem do presidente Jacoviétti, ou seja, pregando para que se faça o bem, NÃO PELO BEM, mas pra que ele volte pra quem fez.

É dizer…
…aqui jaz Jacó, mas seu Sara pontinua bendendo na seu lojinha, Insolência?

A presidente…
…do Saema saiu de lá “sem nenhum odor”, vereadora? Por quê? Ela, a presidente, tem odor?

Uma no cravo…
… foi a do vereador Marcelo por ter retirado as bandeirinhas de sua mesa, já que nenhuma contemplava a cidade.

Outra na ferradura…
…foi a de manter “o público que nos acompanham”, ou seja, concordância ZERO!

Depois da…
…negativa de aparte, a Giga ficou p…da vida com o Pedrão e todas as suas falas dali em diante foram um tom e meio acima do pentagrama.

Dizem que…
…tiraram uma foto do presidente e quando foram revelá-la apareceu quem? Não, ela não, ELE!

O Malazeitona dependurado no saco do Jacoviétti, coçando e cantando: bilu, bilu, bilu, tetéia. Eita!

Presidente…
….“gostaria que lá estivesse” está errado. Quer o certo? “Gostaria que lá estejam!”. Sim, pois, o senhor está falando de um tempo futuro, mencionando várias pessoas. Tendeu?

Aliás, a semana…
…passada o nosso colunista Gaudêncio relatou um episódio de Otávio Mangabeira, governador da Bahia, ministro de Relações Exteriores e um sábio da velha política. Tinha um amor todo especial à língua. E cuidava do português a todo preço.
Chega uma comissão de professoras ao palácio, Mangabeira as recebe no salão.
– Governador, nós viemos aqui conversar com V. Excelência sobre a situação do ensino na Bahia. (Deviam, claro, ter dito “vimos”, que é o presente. “Viemos” é o passado.).
Mangabeira respondeu apenas:
– Que pena, senhoras professoras, vieram e não me encontraram. E voltou para o gabinete.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *