Ja Online

Briga de foice

Tudo muito estranho

Assim, do nada, as sessões camarárias deixaram de ser exibidas pelo You Tube e pelo Facebook. Nenhum aviso, nenhuma explicação.

Entramos em contato com a Câmara e nos disseram que quem pode dizer o motivo é o presidente. Considerando que o mesmo não nos considera como imprensa (embora sejamos o órgão oficial das publicações da Casa), nos valemos da Lei de Acesso à Informação para questioná-lo a respeito da medida.

O fizemos a semana passada e ele tem 15 dias para nos atender, prorrogáveis por mais 15, pena de, não o fazendo, ser processado por afronta à legislação, podendo perder o cargo.
Entretanto, como temos uma Justiça extremamente lenta, seja pelo volume de processos que aporta todos os dias em seus cartórios, seja pelo já tradicional apatia de alguns togados, Jacovetti sabe que, desobedecendo a lei, será condenado quando não mais estiver
na política, caso realmente cumpra a palavra dada publicamente, ou seja, de que não mais participará da gandaia. Deixará o baile.

Conversando com um vereador que ainda tem o nosso respeito, fomos informados, por enquanto oficiosamente, de que a ordem de suspensão das exibições teria partido do Ministério Público Eleitoral.

Aí a pulga chamou diversas outras para trás da nossa orelha.

Oras, na eventualidade de o Promotor de Justiça afeto este ano à Justiça Eleitoral ter realmente dado essa “ordem” ao presidente da Câmara, aí teremos uma briga de foice no escuro.

Sim, pois, a uma, embora autoridade com poder de fogo na área, não tem competência para imiscuir-se em outras, especialmente na que pertence a um dos Poderes constitucionais e, a duas, se realmente cometeu tal audácia, deverá responder judicialmente pelo fato.

É o que saberemos a partir de segunda-feira, quando o nosso ofício desembarcar em seu gabinete.

Contudo, desde já fica a pergunta: admitindo-se, ad argumentandum tantum, que ele tenha ordenado ao presidente Jacovetti para que procedesse a suspensão em nome, por exemplo, da isonomia entre os candidatos em disputa, por que não ordenou que as transmissões pelas emissoras de televisão e rádio também fossem suspensas, estas, sim, muito mais danosas aos demais candidatos, posto que duas são locais e os edis têm um tempão enorme para se exibirem ao público, em detrimento dos que não têm mandato?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *