ATENÇÃO! Esta página contém linguagem chula, de baixo calão, totalmente imprópria para qualquer idade. O aviso está feito e você continua lendo, certo? Significa, então, que você não tem nenhum direito de reclamar de nada.

 

Major Calado

– Major, acabei de criar um ditado e acho que vou ganhar muito dinheiro com ele.
– E quem disse que quem faz ditado ganha alguma coisa?
– Ah, sei lá. Acho que o pessoal dos direitos
autorais, o tal do ECAD, cuida disso, não cuida?
– Cuida, mas não cuida assssimmm, não!
– Bom de qualquer forma, já registrei como
sendo da minha auditoria o seguinte: “Toda desgraça traz junto uma grande graça”.
– Sei não, Gonça, você quer ganhar dinheiro com isso? – Claro! Serei citado em todos os livros, escolas, jornais, TVs, rádios, cinemas, enciclopédias, redes sociais, Tinder, Whats, Face, Twitter, Instagram, ficarei rico, muito rico.
– E qual é a graça que a desgraça da pandemia, por exemplo, está trazendo para justificar
o seu ditado?
– Ora, a telemedicina! Amanhã farei o exame de próstata pela internet, não é o máximo?

 

Padre Inácio

Sigo descatolicado. Tenho ouvido que o Batatinha anda pedindo as contribuições
que recebia antes da pandemia, alegando que a igreja tem muitas despesas. Ora, todo mundo, nesta imensa pandemia, tem despesas e, cá pra nós, orações não custam nada. Tem mais: ele está bem gordinho e os médicos estão avisando que devemos nos exercitar. Então, se não pode pagar a mulher da limpeza, tá aí uma grande oportunidade de perder uns quilinhos. Basta pegar a vassoura e ir varrendo, ir varrendo, igual aquela música. Considerando que a Basílica é bem grandinha, no final de uma semana podem ter
certeza que ele estará pronto para qualquer maratona. Só espero, contudo, que as beatas que o cercam não queiram dar uma de “mãezona” e fazer o serviço por ele, pois se assim for, vou rezar tanto, mas tanto pra que elas fiquem com dor nos quartos, que nunca mais se meterão a besta ajudando-o. E olhem que a minha reza é brava.
Pax Vobiscum!

 

Ucíndico

Agora todo mundo entende de coronavírus, de Covid, de remédio, igual a torcedor de futebol. Aqui na arquibancada é muito fácil
chutar no gol, driblar o zagueiro, enganar o goleiro. Eu quero ver é lá, na grama alta, molhada, cheia de morrinhos. Quero ver pegar a bola na intermediária e fugir de um negão com dois metros de altura, pernas de taquara, fungando no cangote. Aí é que a porca torce o rabo. De minha parte eu não sei de nada. Na verdade nem ligo rádio e nem TV. No máximo, máximo mesmo, coloco umas músicas no meu IPhone e fico de boa, só curtindo. E assim tô levando a pandemia no peito. Não saio de casa, não falo com ninguém a menos que seja por telefone e ligação interurbana, que é pra não correr nenhum risco mesmo. Não tem um ditado que diz que o seguro morreu de velho. Eu sou muito novo para ficar zanzando pela aí, correndo o risco de ser contaminado e aí, babau. Mandaram ficar em casa e em casa estou, igual urso. Só saio quando tiver vacina e não quero a do flango flito. Argh

 

Seratriz

CDemorará séculos até que sejamos totalmente compreendidas. Vejam a minha amiga aí na foto. Disseram que a máscara era obrigatória, pena de multa. Ela pegou a que achou mais bonita e foi pro shopping bela e faceira. Não a deixaram entrar. Pura maldade, não acham?

 

Davi Adão

O que é que eu vou dizer pra você, meu amigo? Também estou de quarentena e nem por isso penso em me suicidar. Eu penso em “dar” em suici, não. Agora, se você acha que não estou ajudando, tente procurar um padre, um pastor que o aconselhe. Eles têm muto mais experiência e paciência que eu, pois foram treinados para isso. Eu, não. Eu fui treinada para o famoso beijinho, beijinho,
pau, pau. E, ó, igual gilete, daquelas antigas, corto dos dois lados. Contudo, do meu gosto mesmo, é só de um lado, aquele que não tem cabo. Você pode, também, arrumar uns brinquedinhos eróticos, está na moda hoje em dia. Tem uns que, se a gente for ver mesmo, nunca mais precisaremos de outra pessoa, pois fazem tudo, tudinho e não reclamam nada, nadinha. A Odete está aqui comigo e teclando com você ao mesmo tempo. E me disse que você está puto com as minhas respostas e tralalá. Disse que você está metendo o pau em mim. De verdade, verdade mesmo? Deve ser muito pequeno, pois não estou sentindo nada.

 

Bispo Vroca

A concorrência está cada dia mais acirrada. Até estou pensando em fazer um mix de religião com os vícios. Primeiro eu
coloco o fiélo no vício, depois o levo para o templo para curá-lo e assim vamos tocando, igual está fazendo a Universal. Vejam:

 

Tadeu Trauma

E você continua pensando que os cornos dão ponto sem nó, né? Tadinho, sabe de nada o coitado. Cara, essa briga do Bolsonaro com a Globo, Veja, Folha, Estadão, ou seja, a mídia
imunda, que só agora revelou a verdadeira cara, está mostrando o quanto o povão é manipulado por interesses que antes ficavam escondidos e agora são jogados na cara de todo mundo e todo mundo fica caladinho, de biquinho fechado. O povão, povão, porque não tem nem força para erguer uma colher com dois grãos de feijão e três de arroz, quanto mais voz para protestar, e a laia lazarenta da classe mérdia, essa excrecência que fica em cima do muro porque não “quer se meter em encrenca”, sabe? Você não é pobre, porque está lendo o meu quadrado e pobre não tem dinheiro pra comprar jornal, mas você também não é da classe mérdia, pois, se fosse, não estaria nem aí com o que os jornais dizem. Na verdade, estaria mais atrás de um jeito de meter a mão na grana dos cofres públicos, que é o que a classe mérdia mais faz. Então, você só pode ser um ser estranho, que não acredita na volta de Jesus, na bênção dos padres, nas promessas dos pastores evangélicos, mas sim na existência de extraterrestres que um dia aportarão por aqui e colocarão ordem nessa Casa de Mãe Joana. E sendo assim, não viu que os cornos de jaleco branco, 95% deles uns bostinhas que fizeram uma faculdade de merda e não sabem diagnosticar nada sem ter um exame na frente, montaram um esquema para impedir que você compre a cloroquina sem ter receita médica, viu? É, meu caro, você é mais um que caiu nas mãos dos agentes do flango flito. Pena!

 

Eva Gina

Uma senhorinha muito simpática, sabendo que sou lésbica, depois de dizer o que todos dizem (“Nossa, tão linda, que desperdício!”),
quis mostrar-se moderna e me deu o seguinte conselho.
– Filha, você não suporta homem, preferindo as mulheres, certo? Então, para que a coisa não fique assim tão descarada, ou seja, você andando abraçada com outra moça, por que é que arruma um gay, daqueles que ainda não saiu da gaiola, cujas penas ficam por dentro, e não faz um acordo com ele?
Mesmo sabendo qual o tipo de acordo que ela queria que eu fizesse, perguntei qual.
– Assim, filha, você casa com ele, muda para uma cidade grande onde ninguém é de ninguém, e lá você pega os homens pra ele e ele – porque todo gay é lindao – pega as mulheres pra você. Daí, em casa, vocês fazem o salgadinho-doce e deixam de dar satisfação para a sociedade. Agradeci a boa intenção, mas não é isso que nós, LGBTQYZ queremos, mas sim sermos o que somos, gostem ou não. Simples assim. Fim.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui