Economia I
Depois de 18 semanas consecutivas de queda, os analistas do Boletim Focus revisaram pra cima a projeção de queda do PIB brasileiro em 2020, dos -6,54% para -6,50%.

Economia II
Pra quem acha que a economia brasileira entrou em declínio em 2020 por causa da pandemia, estudo recente da FGV mostrou que o Brasil já estava em recessão no primeiro trimestre desse ano, se comparado com trimestres anteriores.

Economia III
Segundo o Caged, o Brasil perdeu 331 mil empregos formais e maio, enquanto o acumulado do ano está em mais de 1,1 milhão.

Economia IV
Segundo o Tesouro Nacional, o Brasil teve um rombo (déficit primário) de R$ 126 bi nas contas públicas em maio, valor que supera com folga todo o ano passado, que foi de 95 bi. O resultado foi o pior desde o início da série histórica, de 1997.

Economia V
Mas houve um alento na economia, já que houve melhoras além do esperado no mês de maio. Mesmo assim essa coluna mantém a aposta de queda de 10% da economia, que apresentamos em março.

Bolsonaro
Nas últimas edições publicamos diversas semelhanças/coincidências dos “Bolsonaros” com a época do PT no governo. Agora existe mais uma: o powerpoint. Depois de o esquema do PT ter o seu powerpoint, idealizado pelo ministério público federal, o uol publicou no dia 29/06 um powerpoint também. Como disse a nossa bela e amada: se alguém contasse antes da eleição que tudo isso iria acontecer, ninguém acreditaria.

Coincidência
E vocês viram outra coincidência do Bolsonaro com o PT, só que com o PT de Araras? No governo Bolsonaro, o ministro da economia (Paulo Guedes), é chamado de ministro “da semana que vem”, pelo fato de falar, falar, falar e não fazer. Em Araras, no governo petista do Brambilla havia o secretário de governo (Vanderlei Nascimento) que era chamado de “tô vendo”, e cuja explicação a cidade inteira sabe.

Dica
Essa coluna já deu diversas dicas de reportagens, entrevistas, textos que todos deveriam (ou não) assistir, ver, ler, enfim, tomar conhecimento. A dica dessa semana é o programa Fox Sport Radio (da Fox Brasil) da última quarta-feira (08). É o retrato fiel do Brasil e do brasileiro o que foi falado, sepultando diversas falácias que são ditas sobre nós.

(ET – Outra dica: na mesma esteira – e no mesmo dia – assistam também o programa “Bola Rolando”, do canal Bandsports)

Coronavírus I
Estamos com 1,8 milhão de casos confirmados. Estamos com 70 mil mortes confirmadas. Chegaremos a dois milhões de casos e a 100 mil mortes. E o governo federal, além de nada fazer, zomba da situação. Há quase dois meses não temos um ministro da saúde efetivado no cargo. E ainda querem que sejamos levados a sério?

(ET – E agora não temos também ministro da educação…)

 

Coronavírus II
Em Araras chegamos a 700 casos, com mais de duas dezenas de mortes. Chegaremos a mil casos? Chegaremos a 50 mortes? Não sabemos, mas o fato é que, se a população não colaborar, a situação, além de não melhorar, vai se arrastar até a chegada da vacina.

Coronavírus III
Segundo o governo do estado de São Paulo, no domingo (28/06) a taxa de isolamento em Araras foi de 48%, e no outro domingo (05/7) foi de 49%, enquanto a média da semana foi de 43%. Então fechar aos domingos deu resultado?

Coronavírus iV
Pra quem acha que o coronavírus em Araras é brincadeira e que não está crescendo nos últimos meses, vamos passar alguns dados (com análise finalizada no último dia 8 e considerando que a pandemia teve inicio lá em março, ou seja, estamos com 4 meses do problema no Brasil):
1 – 53% do total dos casos confirmados em junho;
2 – 28% dos casos confirmados nos 8 primeiros dias de julho, o que significa que em apenas 8 dias de julho tivemos mais de 50% dos casos de todo o mês de junho;
3 – o mês de junho teve 10 mortes registradas, sendo que até então o número era de 3;
4 – Só nos 8 primeiros dias de julho tivemos 9 mortes confirmadas, quase o total do mês de junho todo.
Resumo: se esses dados não significarem a tal da progressão geométrica, o que então significará?

Coronavírus V
Outra hipocrisia que temos observado em Araras é que as pessoas dizem que por causa do prefeito estão indo a cidades vizinhas fazer compras. Que mentira, que cinismo, que hipocrisia. O que mais ouvimos ao longo da vida, de diversas pessoas, é que os ararenses fazem compras fora daqui pois aqui as coisas são caras, há o péssimo atendimento, isso sem falar na arrogância do comércio local, que pensam ter o rei na barriga e você, consumidor/cliente, é que faz o favor a eles, pois não precisam de você! Agora, por interesses pessoais (e políticos), vêm com essa história que as compras são feitas longe daqui por causa do prefeito? Balela, mentira e safadeza.

(ET – Ficamos sabendo até da existência de comerciante que teve suas dívidas pagas por um político local (e que será candidato) e que agora o que mais faz nas redes sociais é incitar o ódio contra a administração)

Independência ou morte?
Causou grande repercussão o texto publicado pela Folha de São Paulo “Por que torço para que Bolsonaro morra”, de Hélio Schwartsman. Pois bem. De nossa parte, nunca vamos participar dessa torcida, contra quem quer que seja, até mesmo contra o canalha mor de Araras que zombou da morte de pessoa (e da família) no dia de seu enterro, em julho de 2007. Porém, por outro lado, as razões contidas no texto, são todas verdadeiras. Só que a diferença entre nós e o autor é que esperamos que Bolsonaro, se assim for o caso, responda a eventuais acusações que lhe forem feitas, dentro da independ~encia de um judiciário livre, autônomo e imparcial. Mas, desejar a morte? Não, não compartilhamos.

(ET – Os bolsonaristas ficaram putos da vida com o texto, mas se esqueceram que seu líder desejou mortes por aí, em tempos passados.)

Lava jato
É certo que a operação lava jato, especialmente a força-tarefa de Curitiba, vive seu pior momento. Contestações, restrições e questionamentos de todos os tipos e o choque com o procurador-geral da República, Augusto Aras, demonstram isso de forma bem clara. E o ex-juiz Sérgio Moro vai na mesma toada, sendo acusado de tudo por todos. Pois, é!
Os deuses inatingíveis desceram do altar e viraram mortais. Nada que nos assustou.

Eleições I
Falando em eleições, uma coisa que vamos querer ver nas campanhas desse ano. Considerando que os municípios estão quebrados (e que a economia vai piorar ainda mais), o que será que os candidatos vão dizer, prometer aos eleitores durante a campanha? Sim, pois se não prometerem nada, todos sabem os resultados, e se prometerem algo, 99% será mentira. Até porque, antes mesmo da economia, 90% do que era prometido já não era entregue.

Eleições II
Por fim, todos sabem que a eleição será polarizada. E será, também, judicializada? Claro que será. E aí vocês vão dizer que somos pessimistas. Não, somos realistas! E provamos: já tem vereador que fala por aí que apresentará pedido de impugnação em Araras. Já falou isso na própria sessão camarária.

(ET – Cabe o registro, tendo em vista o fato de existirem muitas críticas sobre a judicialização. As leis estão aí, e só são cumpridas quando fiscalizadas. Portanto, nunca vamos esquecer que a judicialização, muitas vezes, advém do descumprimento da lei, já que tal descumprimento precisar ser denunciado, que significa, em termos leigos, processar. Então, não vamos condenar a… Justiça! Esse recado é importante pois, no Brasil, há sempre a inversão de valores, onde quem quer que a lei seja cumprida acaba sendo o errado, e o errado que não cumpriu a lei, é o certo.)

Ninguém fala? 
A obra do Sabaz-Leste está em pleno vapor. Mas isso ninguém fala? Uma obra importante e de coragem que ninguém teve peito de realizar. Um problema que se arrastava e que nenhum prefeito foi capaz de fazer.

Ninguém fala?
Outra obra que está andando e que é de suma importância é a do tratamento de esgoto da cidade. Prefeitos se omitiram em relação a isso, prefeitos negligenciaram o problema. Junior Franco, em menos de dois anos a frente da prefeitura faz a coisa andar. Mas isso ninguém fala, não é?

Amnésia
Consta que dois vereadores (Felipe Beloto e Jackson de Jesus) estão criticando a administração municipal. O engraçado é que eles esquecem que fizeram parte da administração petista, sigla que quebrou o país e a cidade de Araras. Ambos leram muito bem a cartilha do canalha mor de Araras que fez todo o tipo de cagada, mas esconde o rabo, para atacar os outros. Bem típico. Mas vamos deixar o recado: cuidado! Ambos poderão ter que engolir cada palavra que falaram brevemente, tendo em vista a política. Vai ser engraçado gargalhar futuramente. Estamos levantando cada coisa feita (e as não feitas) em 7 anos de governo petista… Vai ser engraçado mesmo!

Mas tem mais…
Tem outro vereador que vive a criticar a administração, o Apolari. Mas sobre ele o engraçado é ver que ele é todo macho em público, um verdadeiro rottweiler, mas no privado vira um poodle, quase a Lassie, pois quando encontra as pessoas na rua, abaixa a cabeça, abanando o rabo. Isso já aconteceu diversas vezes, com pessoas diferentes.

(ET – Consta que o secretário de serviços públicos, Beto Cabrini, jantou o vereador na última quinta, lá na TV Opinião. Cuidado hein, Beto!)

 

TESTAGEM EM MASSA OPÇÃO ÓTIMA…PARA OS FABRICANTES DE TESTES

Tem sido voz corrente nos últimos dias, que os governos precisam testar a população para saber quantas pessoas já foram ou estão contaminadas pelo coronavírus.

A Rede Globo, por exemplo, em seu “Jornal Funeral”, não passa um dia sem criticar o presidente Bolsonaro por não haver decretado a obrigatoriedade da testagem em massa, por intermédio daqueles kits usados em drive-thrus ou em tendas e quiosques espalhados pelo país.

Tal grita, porém, só faz a alegria dos fabricantes das geringonças que, na verdade, apresentam margem de erro superior a 60%.

Teste para valer, mesmo, tem que ser o RT-PCR (“padrão ouro”) e, mesmo assim, apresenta-se eficaz apenas de três a quatro dias após contágio, vez que, antes disso, geralmente apresenta um resultado falso-negativo (a pessoa está infectada, mas o exame não acusa a presença do vírus).

Tem mais: o mesmo falso-negativo pode aparecer em uma pessoa que já foi infectada e mostrou-se assintomática (não apresentou nenhum indício de que esteve contaminada), quando testada três semanas depois que o vírus já foi eliminado pelo próprio organismo.

Como se vê, o novo coronavírus é tão complicado, que a testagem em massa é dar milho pra bode, a menos que se queira tabular a quantidade de pessoas a ele expostas.

Em casos tais usa-se aqueles de farmácia, que são a galinha dos ovos de ouro dos fabricantes, pois custam uma nota preta, e servem apenas para dizer se a pessoa teve contato recente com alguém contaminado (IgM) ou se tal contato se deu há mais de 14 dias (IgG).

Sua utilidade, quando muito, é dizer aos médicos e, hoje em dia, aos governantes, que o sujeito teve contato com o vírus. O resto, é conversa de laboratorista (aquela pessoa que trabalha para grandes laboratórios e visita regularmente os médicos para deixar uma porção de amostras grátis de algo que ela jura que cura de frieira à caspa, e o médico que não gosta de estudar sai receitando à granel).

Aliás, quantos de nós já não vimos um montão de gente tomando Dienpax (que até ganhou a música “Alto e Baixos”, de autoria de Sueli Costa e Aldir Blanc, cantada por Elis Regina, no trecho que diz: “Já vão tarde essas tardes e mais tuas aulas Meu táxi, whisky, Dietil, Dienpax”), cujo princípio ativo é o Diazepam, depois veio o Bromazepam, o Clobazam, Clorazepam, Estazolam e assim por diante, até o dia em que chegará um propagandista bem falante divulgando o Parãpampam, que ele jurará ser uma droga milagrosa que faz nascer cabelo, aumentar os seios, o pênis, a altura e de quebra promoverá a perda de peso, e um montão de médicos receitarão o dito cujo, não é mesmo?

Volto então a usar a primorosa frase da vereadora Deise Olímpio: “O que que nós sabemos de Covid? O que é que o mundo entende de Covid? Absolutamente nada!”. (Pena que depois disso ela apresentou um projeto de lei sobre aferição de temperatura, que está para ser votado e é de uma ilogicidade ímpar, tanto que objeto de crítica nossa nesta edição).

Então, fiquem atentos: testagem em massa serve apenas para enriquecer os espertalhões.

Assim, enquanto não aparecer uma vacina eficaz contra essa praga chinesa, os testes devem ser feitos apenas em pessoas que apresentarem três ou mais sintomas da doença, de preferência no início deles e em hospitais ou clínicas especializadas.

De resto, é dar milho pra bode.

NR: Os escritos dessa página contempla o pensamento do seu subscritor, sendo os escritos de sua responsabilidade, civil e criminal, perante a quem possa sentir-se ofendido.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui